Vestida de Roupas

De braços amparados, foram noites deitadas ao lado de um
coração grande.

Abracei-o, juntei-me a ele, misturei as lágrimas da saudade e sacudi os medos de perder o que acumulei. Hoje, acordo vestida ainda do teu sentimento, perante mais um dia de passos compridos - que desejava serem mais curtos, sempre de mãos mútuas dadas -, esperando esperançosamente que aquele pôr-do-sol aponte mais uma noite como todas as outras anteriores. Porque, quando tal chegar, não mudarei a roupa como toda a vizinhança, continuarei de tshirt vestida, impregnada do cheiro da vida mas, principalmente, do cheiro do sentimento que nutro por ti. Hoje continuarei assim, amanhã continuarei assim, todos os dias continuarei assim (apareces-te, já não sais).